chás

Cultura do chá

Segundo a história. em 2737 a.C. o Imperador Chinês Shen Nong teria descoberto o chá ao viajar pelos territórios da província Chinesa de Yunnan. Ao parar à sombra de um chazeiro para beber água morna (hábito ainda hoje em voga no Oriente), umas folhas teriam caído acidentalmente dentro da sua taça, alterando a cor e o sabor da bebida. O imperador gostou tanto do resultado que passou a beber o chá com regularidade e, mais tarde, veio a descobrir também vários dos seus fins medicinais.

Ao longo dos anos o chá ganhou tantos admiradores e tal estatuto cultural que se foi difundindo pelas regiões vizinhas, desde a Índia ao Japão.Com a chegada dos Portugueses ao Oriente, o chá foi sendo comercializado e introduzido nas várias cortes europeias, que rapidamente se renderam aos encantos da majestosa bebida.

O caso mais notório desta expansão cultural foi quando Dona Catarina de Bragança fez transportar estas preciosas plantas aromáticas para Inglaterra em 1662, aquando do seu casamento com Dom Carlos II da dinastia Stuart. Graças a esta princesa de Portugal e rainha de Inglaterra, o chá conquistou o seu lugar de requinte na sociedade Inglesa até aos dias de hoje.

O hábito de tomar chá propagou-se ao ponto de hoje ser a segunda bebida mais consumida do mundo, logo a seguir à água. Por razões diversas, o acesso aos melhores chás do mundo foi-se tornando cada vez mais difícil em Portugal.